Medicamentos: Antipsicóticos

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012.
AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE ARTIGO OBJETIVAM INCENTIVAR O DIÁLOGO COM O MÉDICO. É FUNDAMENTAL NÃO SE AUTOMEDICAR. O MÉDICO DEVE SEMPRE PRESCREVER E ACOMPANHAR O TRATAMENTO.
Um antipsicótico (ou neurolépticos) é um medicamento psiquiátrico usado principalmente para controlar a psicose (incluindo delírios ou alucinações, bem como distúrbios mentais), em especial na esquizofrenia e distúrbio bipolar.
Os antipsicóticos são divididos em duas classes: primeira geração, também chamados de típicos; e segunda geração, ou atípicos. A principal diferença entre eles é que medicações de segunda geração têm menor chance de desencadear sintomas extrapiramidais nas doses terapêuticas.
Antipsicóticos de primeira geração:
Antipsicóticos de segunda geração:
Eu, particularmente, já fiz tratamentos com risperidona, levomepromazina e clorpromazina. Atualmente tomo quetiapina.
Parte deste artigo foi extraído da seguinte publicação:
Conversando Sobre A Esquizofrenia
Vol. 3. A importância do tratamento
Jorge Cândido de Assis, Cecília Cruz Villares, Rodrigo Affonseca Bressan
ABRE - Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia
Produzido em janeiro/2008

Conversando Sobre A Esquizofrenia - Vol. 3
A importância do tratamento

Comentários:

Postar um comentário

 
Schiz-X: Diário de um Esquizofrênico © Copyright 2012 | Design By Gothic Darkness | Optimized By Schiz-X